terça-feira, 20 de abril de 2010


O pequeno Traço e o jogo

I

O pequeno Traço olhava para a Margarida e a Margarida olhava para o pequeno Traço.

O pequeno Traço olhava para a Margarida com dois grandes olhos cheios de curiosidade.

A Margarida olhava para o pequeno Traço com dois pequenos olhos curiosos.

O Tobias olhava para ambos com dois olhinhos assustados.

O pequeno Traço, quando sentiu o medo dentro dos olhos do Tobias, pestanejou e olhou para trás, a ver se estava alguma borracha atrás de si.

Os pequenos traços têm sempre medo, muito medo, de borrachas. De todas elas, das novas e grandes e das velhinhas e pequenas.

Há imensas histórias de pequenos traços distraídos, a sonhar grandes linhas para o futuro, que foram completamente destruídos por pequenas, velhas e cansadas borrachas.

Mas atrás do traço não havia borracha alguma.

O Tobias estava assustado porque nunca tinha visto um traço levantar-se e ficar assim: de pé no meio de uma folha. Eram coisas deste estranho mundo onde tinham vindo parar…

E ali estavam os três, no meio de um grande silêncio, a brincar ao sério.

Um jogo… Olhar, sem sorrir, sem os dentes mostrar.

O pequeno Traço começou a ficar cansado… pôs-se de joelhos…

2

Depois deitou-se, enrolou-se, e deu uma cambalhota…

O

Enroscou-se. Enroscou-se muiiito! Ficou muito enroscadinho, pequenino e quentinho…

.

Adormeceu. Ou fingiu dormir…

Z

Espreguiçou-se…

i

A Margarida continuava a olhar para ele… séria.

O pequeno Traço sentou-se…

L

Inclinou-se para esquerda e depois para a direita…

S

A Margarida sorriu. O tracinho era mesmo engraçado!

O pequeno Traço sorriu. Como tinha a boca um pouco torta o sorriso saiu um pouco torto também

)

Não tinha mal ter um sorriso torto… Nem todos os traços podem ser traçados a régua, não é verdade?

A Margarida deu uma gargalhada! O Tobias ladrou de contente. O jogo do sério tinha terminado.

-Como te chamas? - perguntou o pequeno Traço.

-Margarida.

M

-Não tenho corpo para mais… - lamentou o pequeno Traço depois de se ter esticado todo.

A Margarida pegou no lápis e fez o pequeno traço crescer… até ficar grande, bem grande… Um Traço.

O Traço escreveu:

Margarida

Segue-me - disse ele

A Margarida seguiu o Traço, de lápis na mão, o Tobias foi atrás.

Fez um outro Traço igual… Grande!...

Depois fez uma data de tracinhos pequeninos

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

Dois traços paralelos

II

Tracinhos pequeninos entre eles

_
_
_
_
_

E nasceu uma escada!

Uma escada comprida, comprida!… Tão comprida que eles subiram, subiram, subiram e…Chegaram à Lua!

E agora que aventuras vão acontecer na Lua, no País de Coisa Nenhuma?


O João que anda sempre com a cabeça na Lua, aqui, no País de Todas as Coisas, deve saber... Mas agora são os meninos da #sala5, com a ajuda da Ana, que vão continuar a história...

2 comentários:

Juca disse...

Adorei a história... será que os meus meninos também a podiam continuar, lá na Sala Fixe (Bloguefólio)???

Bjs, Juca e Sala Fixe

Thbeth disse...

rsrsr João, a história do traço!!!!!!recordas algo sobre o traço? "think"