quinta-feira, 13 de maio de 2010





O livro que escreve



- Mas quem és tu? – Perguntou a Clara.

-Eu? Eu sou eu. Quem sempre fui e serei. - disse o Mago.

-Ora deixa-te de brincadeiras! Apareces assim do nada e nem te apresentas?

-Vindo do nada? Não… Eu saí de dentro da tua cabeça… Não me digas que a tua cabeça é oca como uma cabaça seca?

-Olha, se queres ouvir a história senta-te e não interrompas. - disse a Clara.

O Mágico sentou-se com um ar um pouco aborrecido. O livro do Mago continuava a voar.

-Não podes dizer ao teu livro para parar quieto? Estamos ouvir uma história, disse o sapo.

- Não, não posso! – disse o Mago - Este livro só faz o que quer, só escreve o que é dito, só conta o passado.

O Tobias andava muito divertido a ladrar e a saltar tentado agarrar o livro até que este foi pousar num ramo de uma árvore e continuou a escrever.

-Então podemos continuar a história? – perguntou a Margarida.

- O meu livro está pronto para escrever tudo! – disse o Mago.

- Olha que ele tem as letras um pouco baralhadas… Tens a certeza que ele aprendeu a escrever? – perguntou o sapo.

- Sim, escreve muito bem… - disse o Mago.

Ora onde é que íamos? Ah na festa de aniversário da Raposa.

A Raposa abriu a porta e todos os amigos gritaram: - Surpresa!!

Qual seria a surpresa, na festa da raposa?

Vá meninos contem lá! O livro do Mago escreverá. Logo veremos se ele escreve tudo como vós contais. Ou se vai baralhar ainda mais…

1 comentário:

Bruxinha disse...

A imagem de "O livro que escreve" pertence à Biblioteca Fantástica de Carmen Domech. Está em exposição na Biblioteca Municipal de Pombal,
até fim de Maio.