sábado, 29 de outubro de 2011

Desenhos feitos para O Patinho Feio


Desenhos feitos após o visionamento do filme, pelos meninos da #sala4 do colégio de Alfragide. Canção: Todos os patinhos, pelos meninos da #sala4 Ano lectivo 2011-2012 Projecto: As personagens falam

domingo, 23 de outubro de 2011

O Patinho Feio respondeu


Olá meninos da sala 4 Não imaginam como fiquei contente com a vossa mensagem.

Madalena, eu fico muito feliz por saber que os meninos da sala 4 gostam muito de mim!

Pois é Lucas, eu não estava com muita atenção e enganei-me no ninho. Agora procuro estar sempre com muita atenção ao que me dizem os crescidos, para não me enganar mais vez nenhuma.

- Porque é que tu não gostas dos outros patinhos? (Afonso, 3 anos)
Afonso, eu gosto dos outros patinhos. Às vezes zangamo-nos, mas isso é normal entre os amigos…

- Porque é que a mãe pássaro não gosta de ti? (Matilde M, 4 anos)
A mãe pássaro não gosta de mim porque eu sou maior que os filhos dela e como-lhes a comida toda. Também tenho uma voz muito forte e faço muito barulho, o que assusta os passarinhos.

- E tu gostas da mãe pata? (Madalena A, 3 anos)
Claro que gosto da mãe pata, Madalena. Os filhos gostam sempre das mães!

- Porque é que a mãe e o pai pato estavam a discutir? (Mafalda, 4 anos)
Porque tinham ideias e opiniões diferentes e pensavam de modos diferentes. Por vezes os adultos não percebem as ideias dos outros e depois discutem Até parece que estão zangados. Mas depois da discussão eles ficam amigos.

- Tu tens carro? (Margarida, 4 anos)
Não, Margarida, eu não tenho carro. As aves não precisam de carro para se deslocarem, porque têm asas para voar e com as suas asas elas podem ir para onde querem. Quando quero ir a algum lugar diferente eu voo.

- Tu tens casa? (Madalena S, 4 anos)
Sim, Madalena, eu tenho casa. Agora vivo num belo lago, no alto de uma montanha, ao pé de um palácio que já foi de reis e de rainhas.

- Tu tens ninho? (Penélope, 4 anos)
Não Penélope, eu não tenho ninho. Só as patas é que têm ninho, porque elas põem ovos.

- A bóia não falava com os patinhos, tu gostavas dela? (Mafalda e André, 4 anos)
Gostava sim, Mafalda e André. Gostava porque pensava que era um pato a sério e porque a bóia se estava a rir para mim.

- O que é que tu comes patinho? (Matilde M, 4 anos)
Eu como quase tudo, mas a minha comida preferida é milho e caracóis.

- Tu tens cama? ( Bernardo, 3 anos)
Não Bernardo, eu não tenho cama porque os patos não se deitam, por isso não preciso!

- O que é que tu não comes? (Francisco, 3 anos)
Olha não como doces, nem carne, nem peixe.

- Tu tens frigorífico? (Pedro, 4 anos)
Não Pedro, eu não tenho frigorífico porque os cereais, que são a base da minha alimentação não precisam de ir para o frigorífico.

- Tu gostas da tua mãe branca? (Gonçalo, 3 anos)
Claro que eu gosto da minha mãe branca, Gonçalo. Os filhos gostam sempre das mães.

- Tu tens almofada? (Madalena A, 3 anos)
Não Madalena, eu não tenho almofada!

- Tu gostas dos teus irmãos (os branquinhos)? (Constança, 4 anos)
Claro que eu gosto dos meus irmãos branquinhos, Constança.

- Tu choraste muito? (Madalena S, 4 anos)
Sim, Madalena, eu chorei muito porque estava muito triste. Pensava que ninguém gostava de mim. Também chorava porque tinha medo de estar sozinho. É que é muito perigoso os meninos andarem sozinhos na rua, porque a rua tem muitos perigos.

- Tu brincas com brinquedos? (Mafalda, 4 anos)
Não, Mafalda, eu não tenho braços e mãos, só tenho asas, por isso não posso usar brinquedos.

- Quais são os teus brinquedos? (Madalena S, 4 anos)
Eu não tenho brinquedos, mas gosto muito de brincar. A minha brincadeira favorita é nadar no lago!

Adeus meninos da sala4 do Colégio de Alfragide, gostei muito de estar convosco. Muitos beijinhos, muitos abraços e muitos Adeus do vosso amigo Patinho

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Perguntas ao Patinho Feio


Olá Patinho Feio

- Nós gostamos muito de ti (Madalena S., 4 anos)

- O patinho que era branco foi para o ninho errado. O patinho branco não era igual aos patinhos amarelos. As outras mães não eram iguais ao patinho branco (Lucas, 4 anos)

- Porque é que tu não gostas dos outros patinhos? (Afonso, 3 anos)

- Porque é que a mãe pássaro não gosta de ti? (Matilde M, 4 anos)

- E tu gostas da mãe pata? (Madalena A, 3 anos)

- Porque é que a mãe e o pai pato estavam a discutir? (Mafalda, 4 anos)

- Tu tens carro? (Margarida, 4 anos)

- Tu tens casa? (Madalena S, 4 anos)

- Tu tens ninho? (Penélope, 4 anos)

- A bóia não falava com os patinhos, tu gostavas dela? (Mafalda e André, 4 anos)

- O que é que tu comes patinho ? (Matilde M, 4 anos)

- Tu tens cama? ( Bernardo, 3 anos)

- O que é que tu não comes? (Francisco, 3 anos)

- Tu tens frigorífico? (Pedro, 4 anos)

- Tu gostas da tua mãe branca? (Gonçalo, 3 anos)

- Tu tens almofada? (Madalena A, 3 anos)

- Tu gostas dos teus irmãos (os branquinhos)? (Constança, 4 anos)

- Tu choraste muito? (Madalena S, 4 anos)

- Tu brincas com brinquedos? (Mafalda, 4 anos)

- Quais são os teus brinquedos? (Madalena S, 4 anos)

Adeus Patinho e muitos beijinhos e muitos abraços e muitos Adeus dos meninos da #sala4 do Colégio de Alfragide.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

O Patinho Feio



O Patinho Feio (em dinamarquês Den grimme ælling) é um conto de fadas do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen publicado pela primeira vez em 11 de Novembro de 1843 em Nye Eventyr. Første Bind. Første Samling. 1844.


História

Um filhote de cisne é chocado no ninho de uma pata. Por ser diferente de seus irmãos, o pobre é perseguido, ofendido e maltratado por todos os patos e galinhas do terreiro. Um dia, cansado de tanta humilhação, ele foge do ninho. Durante sua jornada, ele para em vários lugares, mas é mal recebido em todas. O pobrezinho ainda tem de aguentar o frio do inverno. Mas, quando finalmente chega a primavera, ele abre suas asas e se une a um majestoso bando de cisnes, sendo então reconhecido como o mais belo de todos.
[Retirado da Wikipedia]


Contos de Fadas

Os contos de fadas são uma variação do conto popular ou fábula. Partilham com estes o fato de serem uma narrativa curta cuja história se reproduz apartir de um motivo principal e transmite conhecimento e valores culturais de geração para geração, transmitida oralmente, e onde o herói ou heroína tem de enfrentar grandes obstáculos antes de triunfar contra o mal. Nos contos, que muitas vezes começam pelo "Era uma vez", para salientar que os temas não se referem apenas ao presente tempo e espaço, o leitor encontram personagens e situações que fazem parte do seu cotidiano e do seu universo individual, com conflitos, medos e sonhos. A rivalidade de gerações, a convivência de crianças e adultos, as etapas da vida (nascimento, amadurecimento, velhice e morte), bem como sentimentos que fazem parte de cada um (amor, ódio, inveja e amizade) são apresentados para oferecer uma explicação do mundo que nos rodeia e nos permite criar formas de lidar com isso. Entre os grandes autores, além dos irmãos Grimm, encontram-se o francês Charles Perrault, que deu vida a Capuchinho Vermelho, Bela Adormecida, Pequeno Polegar e Gato de Botas; Andersen, que nos presenteou com a história do Patinho Feio; e Charles Dickens, com o Conto de Natal e a história de Oliver Twist. No Brasil, a maior conquista foi Monteiro Lobato, cuja a obra ainda hoje serve de base ao início literário de muitas crianças. Caracteristicamente os contos envolvem algum tipo de magia, metamorfose ou encantamento, e apesar do nome, animais falantes são muito mais comuns neles do que as fadas propriamente ditas. Alguns exemplos: "Rapunzel", "Branca de Neve e os Sete Anões" e "A Bela e a Fera".
[Retirado da Wikipedia]

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

A Carochinha respondeu!

Olá olá meninas e meninos da #sala4.

[Carochinha] Madalena, és muito simpática ao dizer que sou linda... os outros meninos também concordam contigo?
[João Ratão] És a mais bela, Carochinha, a Madalena tem razão!
[Carochinha] Oh João Ratão...
[Boi] Hey, tenhos  MUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUitas perguntas para responder!
[Cão] Ão ão ão ão ão! A sala da Ana fez muitas perguntas à Carochinha! Pudera, ela é tãoooo linda!
[Galo] Có có có ró có! Está na hora de responder, amigos!
[Gato] Miaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaau! Vamos lá! Parem lá com isso!
[Carochinha] Ena, tantas perguntas dos nossos amigos! Vamos responder? 

- Porque é que tu não gostas dos gatos? (André, 4 anos)
André, não gostei nada de saber que os gatos comem ratinhos ao jantar! Não podia casar com um gato, eu gosto muito dos pequenos ratinhos! Gosto tanto que até me queria casar com o João Ratão! 

- Tu tens carro? (Margarida, 3 anos)
Margarida, tenho um carro sim. E até lhe dei um nome. Chama-se Ervilha, porque é pequenino, mesmo à minha medida! 

- Porque é que tu gostas do João Ratão? (Mafalda, 3 anos)
O João Ratão era tão bonito. E tratava-me muito bem, foi logo a correr buscar o meu véu... Mafalda, tenho muitas saudades dele!


- O que comes Carochinha? (Matias, 3 anos)
Matias, eu alimento-me de tofu e seitan, que é uma comida especial para as Carochinhas como eu. Não gosto muito de comer carne, sabes? E adoro sumo de melancia!

- Porque é que não gostas de bois? (Penélope, 4 anos)
Penélope, aquele boi que me apareceu à janela... era MUUUUUUUUUUUUito barulhento!

- Tu tens irmãos? (Gonçalo,3 anos)
Tenho um irmão, Gonçalo. Um Carochinho que, ao contrário de mim, é careca e bem parecido. E não tem carro, anda numa mota que se chama Vespa!

- Porque é que não gostas do cão? (Madalena A. 3 anos)
Sabes, Madalena, eu gosto de cães. Até tenho dois ali no quintal, são os meus melhores amigos. Mas aquele cão que apareceu à minha janela... não me convenceu. Era muito ão ão ão! Não ia conseguir descansar de noite!


- Eles (cão, boi, gato, galo, João Ratão) brincam contigo? (Matilde M. 4 anos)
Claro, Matilde. Somos amigos e gostamos muito de brincar às escondidas. E às vezes à apanhada!
-  João Ratão, vais casar para sempre com a Carochinha? (Madalena A, 3 anos)
Oh Madalena! Eu bem queria casar com a Carochinha, mas a sopa estava tãooooo apetitosa!

- Porque é que não gostas do galo? (Joana, 4 anos)
O galo era muito vaidoso. E aquele cantar ia acordar-me cedo demais. E Joana, eu gosto de dormir!


- Vocês têm casa? (Mafalda, 3 anos)
Mafalda, as Carochinhas têm casas, tal como tu e os teus amigos aí da sala. E até temos quintal, canteiros com flores.

- Onde é que vocês dormem? (Miguel, 4 anos)
Numa cama muito fofinha e confortável, Miguel. Quando era pequena, partilhava o quarto com o meu irmão. Depois fiquei com o quarto todo só para mim.

- Eu quero saber porque é que o rato caiu dentro do caldeirão, onde estava a sopa. (Lucas,4 anos) 
Lucas, o João Ratão era muito guloso. Guloso demais. e estava cheio de fome, naquele dia! E a sopa estava mesmo muito boa! Cheirava mesmo muito bem!

- Choraste muito tempo Carochinha? (Mafalda, 3 anos)
Mafalda, chorei durante alguns dias. Mas depois pensei: o João Ratão não vai voltar, vou guardá-lo com saudade no meu coração! E voltei a sorrir. 

- Arranjaste outro marido? (Inês B, 4 anos)
Oh Inês, ainda aqui estou à janela, a cantar... à espera do meu Príncipe Encantado!
- Eu quero saber se tinha chouriço na sopa? (Madalena S. 4 anos)
Madalena, a sopa... ai a sopa! Não me fales da sopa, que fico triste por causa do João Ratão. Mas sim, a sopa tinha chouriço. Acho que foi por isso que o João Ratão caiu lá dentro do caldeirão, ele gostava muito de comer chouriço.


Até breve, meninas e meninos. Beijinhos a todos.
 

Carochinha
João Ratão
Cão
Boi
Gato
Galo

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Perguntas à Carochinha


Olá Carochinha, cão, boi, gato, galo e João Ratão

Gostámos muito da tua história, sobretudo quando cantas.

- Oh Carochinha tu és muito linda (Madalena S, 4 anos).

Aqui vão as nossas perguntas:

- Porque é que tu não gostas dos gatos? (André, 4 anos)
- Tu tens carro? (Margarida, 3 anos)
- Porque é que tu gostas do João Ratão? (Mafalda, 3 anos)
- O que comes Carochinha? (Matias, 3 anos)
- Porque é que não gostas de bois? (Penélope, 4 anos)
- Tu tens irmãos? (Gonçalo,3 anos)
- Porque é que não gostas do cão? (Madalena A. 3 anos)
- Eles (cão, boi, gato, galo, João Ratão) brincam contigo? (Matilde M. 4 anos)
- Ratão João, vais casar para sempre com a Carochinha? (Madalena A, 3 anos)
- Porque é que não gostas do galo? (Joana, 4 anos)
- Vocês têm casa? (Mafalda, 3 anos)
- Onde é que vocês dormem? (Miguel, 4 anos)
- Eu quero saber porque é que o rato caiu dentro do caldeirão, onde estava a sopa. (Lucas,4 anos) 
- Choraste muito tempo Carochinha? (Mafalda, 3 anos)
- Arranjaste outro marido? (Inês B, 4 anos)
- Eu quero saber se tinha chouriço na sopa? (Madalena S. 4 anos)

 Adeus Carochinha , João Ratão, cão, boi, gato, e galo.

Ficamos à espera que nos respondam.
Até breve e Xi corações dos meninos da #sala4

domingo, 2 de outubro de 2011

História da Carochinha



Esta semana vamos ouvir, brincar, jogar, imitar e falar com a Carochinha e todos os outros personagens da história.

Entende-se por projectos de promoção da leitura, os projectos que de uma forma continuada, têm como principal intuito aproximar os livros dos potenciais leitores, sendo que, surge uma relação entre as acções a desenvolver e o público a que se destina as actividades, por sua vez o leitor transformasse num sujeito activo. A promoção da leitura surge assim, numa tentativa de formar os leitores e de fazer com que estes adquiram o hábito/gosto pela leitura.

- O Jogo dos Erros

Ao contarmos a história às crianças enganamo-nos propositadamente e de um modo sistemático, isto é, ao longo de toda a história. Esta situação vai provocar nas crianças variadíssimos protestos e uma irritação que desaparecerá quando as crianças perceberem que se trata de um jogo. É de referir que este jogo vai permitir às crianças mostrarem o que sabem sobre a história e assim podem trocar de posição com o professor, passando as crianças a ser o professor (porque sabem os dados correctos da história) e o professor passará a ter o papel de aluno, porque está equivocado nos dados da história. É de referir que este jogo tem uma «eficácia terapêutica» porque as crianças deixam de brincar com a Carochinha/conto e começam a brincar mais consigo porque enfrentam a liberdade sem receios, sendo assim, começam a reconstruir mentalmente os elementos que realmente pertencem à história. Como as palavras do conto são alteradas a criança aprende a estabelecer as diferenças entre as substituições. Começa a aperceber-se que existem elementos que são considerados funcionais e não funcionais e que uns repousam no desenvolvimento do conto e que outros influenciam no desenrolar da história.
Para este processo de reconstrução do conto é necessário que, tanto as crianças como o professor conheçam a linha orientadora do conto.
Achamos por bem alterar as palavras que são mais significativas na história, sendo que, os alunos corrigem-nas e o contador corrige-as automaticamente. As palavras alteradas são as seguintes:
- Carochinha à Baratinha;
- 5 réis à 5 pedrinhas;
- Vizinha à Avozinha;
- João Ratão à José Ratão;
- Feijão à Agrião.

Texto e jogo retirado de:

http://www.notapositiva.com/superior/profensinobasico/literatura/promocaoleitura.htm